segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

O Ano de Leos Carax, Neil Young e Daniel Galera





Considero Leos Carax e seu "Holy Motors", Daniel Galera e seu "Barba Ensopada de Sangue" e Neil Young e sua autobiografia "Waging Heavy Peace" mais seus dois discos com a banda Crazy Horse, "Americana" e "Psychadelic Pill" os destaques de um bom 2012 no cinema, na literatura e na música.
"Holy Motors" subverteu todas as regras da narrativa convencional para, metalinguisticamente, falar sobre representação, mais até do que interpretação. Cerebral, divertido, esteticamente belo e ousado, é o filme mais original dos últimos anos.
Neil Young esteve presente de maneira intensa no ano que se passou. Lançou sua não cronológica autobiografia que é um show de seu estilo peculiar, e os discos de folk "Americana" e o roqueiro "Psychadelic Pill", que trouxe a mais bela canção de 2012, "Ramada Inn". Certos caras sempre ficam no topo.
E Daniel Galera publicou o mais festejado romance brasileiro do ano. Não era pra menos. Uma obra incrivelmente segura, madura e instigante, que mistura elementos policiais em um clima regionalisticamente cosmopolita. Desde quando li "Dois Irmãos", do Milton Hatoum, há uns 10 anos, um livro brasileiro não me interessava tanto.
Agora, que venha 2013.