sexta-feira, 29 de junho de 2012

Para Roma Com Amor (To Rome With Love, Woody Allen, 2012)


Depois de Londres, Barcelona e Paris, Woody Allen leva sua visão de cartão postal agora a Roma. "Para Roma Com Amor" pode não ter a sofisticação de "Meia-Noite em Paris" ou "Match Point", mas é um filme a que se assiste com facilidade e prazer, como, de resto, tem sido a regra na obra do cineasta. Com um elenco de astros como Penélope Cruz, Jesse Eisenberg, um Alec Baldwin com incompreensíveis cabelos pintados de acaju, um Roberto Benigni até certo ponto mais contido, a sempre irritante Ellen Page, Judy Davis, além de Allen, o diretor utiliza elementos do próprio cinema da Itália, como a narrativa feita de episódios independentes e um humor levemente mais erotizado, além de graciosos esterótipos do comportamento italiano, para contar quatro histórias que se passam na dita "Cidade Eterna". A música popular italiana também é largamente explorada, bem como a ópera (como não poderia deixar de ser). O roteiro é um pouco mais frouxo, mas com algumas boas situações e diálogos, marcas do cineasta.
No final das contas, as histórias mais ou menos giram em torno da temática de sucesso e fracasso. Allen sempre adotou para si uma atitude meio blasé em relação ao sucesso, o que, diga-se, nunca pareceu muito convincente. Seu último filme, ambientado em Paris, foi a maior bilheteria de sua carreira. Ao final de "Roma", um personagem diz algo como ser preferível a riqueza e o sucesso à pobreza e ao fracasso. Por mais que costumasse dizer que o insucesso comercial de seus filmes mostravam que ele estava no caminho certo, aqui fica muito claro o que Woody Allen realmente prefere.

Nenhum comentário:

Postar um comentário